Ecoando notas



O moço toca flauta enquanto ela lembra das virtudes esquecidas nas cavernas de seu coração.
A melodia vai ecoando por toda parte, desde os ouvidos até o pulmão. Ela tropeça nela mesma enquanto se enternece com o som raro daquela flauta. E a tristeza transversal que até então lhe preenchia dá lugar a uma euforia luminosa, assim sem razão de ser, mas já sendo.

1 Comentários:

Kélen Sakura ♀ 11 de outubro de 2010 08:01  

Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música. (Aldous Huxley)

Texto curto, mas muito bem estruturado, e imagem linda também. :)

Se puder passar e deixar um comentário: http://pansofiadistopica.blogspot.com/

Postar um comentário

  © NOME DO SEU BLOG

Design by Emporium Digital